TENDÊNCIAS: FINTECHS CARTEIRAS DIGITAIS

Gostaria de trazer nesse artigo uma pesquisa pública recente que tive acesso da opinionbox sobre carteiras digitais, de um lado temos as Fintechs de bancos digitais, Nubank, Neon, Inter, e mais uma lista enorme, e do outro temos as carteiras digitais, onde se destacam Picpay, Paypal e Pagbank, diferente dos bancos digitais elas tem propostas menos abrangentes, algumas tem uma posição de não se transformar em bancos digitais, outras, a partir do crescimento podem se transformar em bancos digitais.

 

Afinal, qual o impacto das carteiras digitais em nossa vida cotidiana? Talvez essa seja a principal pergunta que a pesquisa responda. Com um olhar detalhado acerca do comportamento do consumidor, o relacionamento e a experiência com as principais marcas do setor, a pesquisa lança um olhar aguçado sobre o segmento com pontos de grande relevância a serem considerados.

 

Com este artigo espero apontar alguns dos principais aspectos que identifiquei a partir da leitura da pesquisa e que podem ser do interesse do nosso ecossistema de startups.

 

 

Definição de Carteira Digital

 

Carteiras digitais são uma forma de realizarmos transações financeiras por meio de dispositivos eletrônicos. Isso se aplica a compras de itens online, por meio de celulares ou computadores, em marketplaces, ecommerces e outros ambientes transacionais. Em geral, é possível associar contas bancárias às carteiras digitais.

 

 

Líderes do segmento de Carteiras Digitais

 

Quando falamos em carteiras digitais, e considerando os dados fornecidos pela pesquisa da opinionbox, alguns dados são mais evidentes. O Picpay é a carteira digital mais utilizada e conhecida, liderando todos os rankings de conhecimento e presença de marcas, o programa de auxílio Brasil no período da pandemia, teve uma parceria intensa com a carteira digital da Picpay, o que com certeza contribui com a visibilidade da plataforma. Dentre as marcas com maior índice de satisfação destacam-se: Picpay, Paypal e Pagbank. A pandemia acelerou ainda mais o processo de digitalização da economia e as carteiras digitais registram essa tendência de intensificação de abril/21 a abril/22, onde 62% dos entrevistados da pesquisa alegam ter passado a usar as carteiras digitais com mais frequência.

 

 

Frequência e usos da Carteira Digital

 

Aproximadamente 35% das pessoas entrevistadas pela opinionbox afirmam usar mais as carteiras digitais do que os próprios bancos no dia a dia, o dado é ainda mais surpreendente considerando que 81% dos entrevistados têm uma renda familiar que os enquadra nas classes sociais CDE. Quando se trata da frequência de uso das carteiras digitais, mais de 50% dos entrevistados alegam usar o meio de pagamento em questão ao menos 2 ou 3 vezes por semana, quando não mais.

 

 

Comportamento de Compra

 

Dentre os principais sentimentos que povoam essa migração de método de pagamento, a gratuidade e ausência de taxas se destacam como fator de escolha da empresa em questão, mas aspectos como segurança, praticidade e facilidade, são algumas das experiências mais valorizadas pelos usuários. Soma-se a este sentimento otimista em relação às carteiras digitais a percepção de 73% dos entrevistados de que, no futuro, as carteiras digitais vão substituir meios de pagamento tradicionais.

 

 

Presença de marcas

 

O ecossistema de carteiras digitais revela uma multiplicidade de agentes que fica evidente, na proliferação de marcas que atuam no segmento. Todavia, algumas empresas ainda ocupam o ranking das empresas mais lembradas pelo consumidor com destaque, na respectiva ordem, para Nubank, Picpay, Paypal, C6 e MercadoPago, sendo que as duas primeiras correspondem a 36% da lembrança dos entrevistados de forma espontânea.

 

Mas se na lembrança foi possível estabelecer esta equidade, quando nos aprofundamos na pesquisa o que se vê é a liderança massiva do PicPay, sendo a marca com os melhores resultados, na liderança dos principais rankings como: marcas mais utilizadas, marcas mais lembradas, ranking de conhecimento, marcas preferidas, etc. Sendo, além disso, a marca com média de satisfação mais alta segundo os entrevistados.

 

 

Balanço

 

Procurei traduzir aqui em nosso artigo, de forma ágil, alguns dos dados que mais me chamaram a atenção e que são relevantes para startups e fintechs que atuam no segmento. Entender as preferências do consumidor e estar atento as tendências do mercado é fundamental para realizarmos boas escolhas. E acredito que as Fintechs têm que estar atentas aos movimentos dos líderes do setor, e buscar se inspirar na construção das suas soluções. O relatório da pesquisa na íntegra você acessa clicando aqui. Boa leitura.

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

OPEN FINANCE – O PODER DA INCLUSÃO A UM CLICK

O desenvolvimento do nosso ecossistema financeiro vem sendo muito elogiado no mundo inteiro. Para se ter uma ideia da importância dessa agenda, o PIX tem mais de 141 milhões de pessoas com suas chaves e 12,7 milhões de empresas que usam o sistema de pagamento diariamente. O volume transacionado foi de mais de R$ 3,8 bilhões, tornando-o principal meio de pagamento utilizado pelos clientes.

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

Idioma »