SXSW: O QUE ROLOU SOBRE WEB 3 E IA

Nessa edição de 2024 da SXSW, south by southwest, a trend era IA (inteligência artificial), trago dois palestrantes que fizeram a intersecção entre o mundo Web 3 e a IA, a Sandy Carter e Chris Dixon.

 

De 8 a 16 de março de 2024, mais de 350 mil pessoas estiveram em Austin, para acompanhar quase 3000 palestrantes, onde foram recebidas pessoas do mundo inteiro, a Sandy Carter trouxe a palestra “A fusão mente-máquina: sete tendências futuras em um mundo pós-inteligência artificial no trabalho”, e Chris Dixon em um bate-papo com Camila Russo, founder, The Deflant, compartilhou a “Construindo a Próxima Era da Internet”.

 

A FUSÃO MENTE-MÁQUINA: SETE TENDÊNCIAS FUTURAS EM UM MUNDO PÓS INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NO TRABALHO

 

Sandy Carter

 

Pelo segundo ano assisti Sandy Carter, COO do Unstoppable, esse ano veio com status de blockbuster e palestrou no ballon D (um dos palcos principais do evento), ela destacou 7 tendências para o futuro no mundo da IA:

 

• Exponencial

• Modelos múltiplos de aprendizado

• Era experiencial

• Tudo está sendo duplicado digitalmente

• Tokenização de tudo

• Convergência técnica

• IA e novos problemas

 

Vou compartilhar o que extrai dessa palestra focando em web 3, das últimas três tendências que nossa Carter trouxe, mas quem quiser saber tudo sobre a palestra, segue o link em português para a sessão completa:

 

 

TOKENIZAÇÃO DE TUDO

 

Na tokenização de tudo, Sandy trouxe que esteve em Davos esse ano, onde no mais importante fórum econômico mundial esse item foi pauta, aproveito para mencionar que Eduardo Carvalho, CEO da Dinasty Global, brasileiro, com sua empresa fundada na Suíça, neste mesmo evento, levou um case do seu token de pagamento baseado em ativos imobiliários, o que reforça que já estamos na era da tokenização.

Nossa palestrante e explorou outros cases:

 

• Detritos espaciais

• Satélites

• Real State

• Roupas

• Comida

• Recursos de materiais

• LLMs

 

A tokenização envolve digitalizar os direitos de um ativo físico, como uma peça de roupa ou até mesmo detritos espaciais (estão sendo registrados pela NASA), e registrar sua propriedade na blockchain. Isso permite rastrear a autenticidade e a história de um item, como no caso de roupas de marca que são revendidas no mercado secundário. Além disso, a tokenização está sendo aplicada em setores diversos, como imóveis e até mesmo eventos esportivos, onde os ingressos físicos são substituídos por tokens digitais para evitar fraudes e comprovar presença. Essa tendência tem o potencial de revolucionar muitos aspectos da vida cotidiana, desde transações financeiras até a proteção de propriedade intelectual, e representa uma mudança significativa na forma como interagimos com o mundo digital e físico.

 

O item de tokenização de LLM refere-se à prática de atribuir tokens digitais a modelos de linguagem de grande escala (LLM, na sigla em inglês). A tokenização permite que os desenvolvedores de LLMs atribuam tokens únicos a cada modelo específico, criando assim um registro de propriedade digital. A razão por trás dessa prática é proteger a propriedade intelectual e os direitos de uso do modelo. Com a tokenização, os criadores podem estabelecer um registro digital que comprova quem possui o modelo e quem tem permissão para utilizá-lo. Isso é especialmente importante devido ao potencial de roubo de propriedade intelectual no campo da inteligência artificial, onde modelos de linguagem de alto desempenho podem ser muito valiosos.

 

CONVERGÊNCIA TÉCNICA

 

A convergência técnica é a combinação de várias tecnologias e de como pode otimizar processos e criar novos mercados. Ela mencionou exemplos de convergência, como a combinação de inteligência artificial (IA) com blockchain e sensoriamento de dados, demonstrando como essas sinergias podem criar valor e impulsionar a inovação, esse destaque foi dado no slide a seguir:

 

Além disso, Sandy reforça de novo o mundo web 3, voltando a tokenização de ativos e da identidade digital, destacando como essas tecnologias podem fornecer transparência e monetização para os usuários. Ele também explorou a convergência entre IA e quantum computing, ressaltando como isso pode acelerar o treinamento de modelos de aprendizado de máquina e trazer novos desafios de segurança.

 

IA E NOVOS PROBLEMAS

 

Ela destacou a importância da confiança na tecnologia e relata a preocupação com deep fakes e a disseminação de informações falsas. Além disso, discute o problema das alucinações geradas por algoritmos, exemplificando com casos de fontes de pesquisa inexistentes, afinal nem tudo que está na internet é de fonte confiável, mesmo que tenha um grande acesso e interação em páginas. Outro ponto abordado é a falta de dados, que afeta a precisão dos modelos de IA, especialmente em áreas como saúde, onde a disparidade entre dados de homens e mulheres pode levar a resultados imprecisos. Sandy enfatiza a necessidade de desenvolver um framework de IA responsável para lidar com esses desafios éticos e técnicos, e sempre traz como o uso de blockchain combinado a IA pode trazer segurança nos processos.

 

Sandy explorou que iremos precisar sermos pensadores em IA primeiro, e para isso:

 

“Um especialista não é quem dá todas as respostas corretas, ela é quem faz as perguntas corretas.”

 

Por fim, Sandy abordou as questões éticas e sociais relacionadas à IA, como confiança, viés e empregos, enfatizando a importância de abordar esses problemas enquanto avançamos no campo da tecnologia. Ele encoraja os líderes a questionarem e considerarem cuidadosamente o impacto das tecnologias emergentes em suas empresas e na sociedade como um todo.

 

CONSTRUINDO A PRÓXIMA ERA DA INTERNET

 

Chris Dixon e a Camila Russo

 

Chris Dixon foi um empreendedor, que fundou várias empresas de tecnologia, e já investiu em várias startups de sucesso, entre elas FourSquare, Kickstarter, Pinterest e mais uma lista. Hoje é um investidor de renome associado à A16z Crypto, uma divisão da empresa de capital de risco Andreessen Horowitz focada em investimentos em criptomoedas e tecnologia blockchain. Toda essa experiência, junto com profundo conhecimento no setor de tecnologia, bem como por seu papel ativo no apoio a startups e projetos inovadores na área de criptoativos.

 

Ele é reconhecido como um dos principais defensores e impulsionadores do desenvolvimento e adoção de tecnologias disruptivas, incluindo blockchain e criptomoedas.

 

A ERA DA DESCENTRALIZAÇÃO: DA INTERNET AOS GIGANTES TECNÓLOGICOS

 

A governança na internet está passando por uma transformação fundamental, afetando diretamente a forma como os usuários interagem e participam da rede global.

Desde os primórdios da internet, quando nasce no ambiente acadêmico, a governança era principalmente descentralizada, com a comunidade de desenvolvedores e prestadores de serviços decidindo as regras do jogo. No entanto, com o surgimento de gigantes tecnológicos como Google, Facebook e Twitter, o cenário mudou drasticamente. Essas empresas centralizaram o poder e passaram a controlar globalmente os negócios, a cultura e a política na internet, ressaltando que além dos dois palestrantes, ouvi a mesma fala de Elizabeth Bramson-Bourdreau (MIT Technology Review), Amy Webb (Future Today Institute), Rohit Bhargava e outros painelistas.

 

Chris explorou as tendências emergentes de descentralização e governança na internet, destacando o papel dos blockchains, da inteligência artificial e de outras tecnologias inovadoras nesse processo.

 

O PAPEL DOS BLOCKCHAINS NA DESCENTRALIZAÇÃO DA GOVERNANÇA

 

Os blockchains emergiram como uma solução promissora para a descentralização da governança na internet. Essas tecnologias permitem a criação de sistemas mais democráticos e transparentes, onde as decisões são tomadas pela comunidade, em vez de serem controladas por uma única entidade centralizada.

 

Dixon traz o sentimento de expectativa inerentes do ser humano, comparando a gravidez e a democracia, onde esperamos que sempre sejam perfeitas, eu diria que os processos de blockchain de forma análoga não podem prometer a perfeição, mas podem nos modelos de governança trazerem segurança e rastreabilidade que irão com certeza tornar melhor do que conhecemos hoje, pois através de ferramentas e softwares baseados em blockchain, a governança pode ser experimentada e adaptada de acordo com as necessidades da comunidade.

 

Como investidor, se posicionou otimista em relação ao futuro e está ansioso para ver como as inovações tecnológicas continuarão a moldar o mundo ao nosso redor, e frisou seu compromisso em identificar e apoiar os empreendedores que estão liderando a próxima onda de inovação na internet.

 

CONCLUSÃO: WEB 3 NAVEGANDO NO FUTURO

 

À medida que avançamos para um futuro cada vez mais digital, é crucial que consideremos o impacto da governança descentralizada na evolução da internet. As tecnologias emergentes, como blockchains e inteligência artificial, estão oferecendo novas oportunidades e desafios, e é importante que estejamos preparados para navegar nesse cenário em constante mudança.

 

Durante a semana que estive na SXSW 2024, é um consenso que em 2025, a IA já estará cada vez mais incorporada nos mais diversos processos, de todas as indústrias, além da financeira, muito se colocou sobre a responsabilidade do uso da IA, e tanto a Sandy Carter quanto Chris Dixon, na minha visão foram assertivos de posicionar as redes blockchain, que são a base de toda a revolução Web 3, como ferramentas fundamentais para garantir a confiabilidade de dados, quanto o veículo que pode tornar a descentralização acessível e quem sabe ajudar a ser uma ferramenta de equilíbrio na nossa sociedade.

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

SPRINT 034 – NETWORKING E INOVAÇÃO: IMPRESSÕES DO WEB SUMMIT RIO

Foram 3 dias de muitos encontros. Entre eles, @Gabriel Pereira, líder do maior canal do mercado financeiro, o @Let’s Media. Se você acompanha meu conteúdo, também precisa acompanhar o conteúdo produzido por esse ex-produtor de sistemas, um verdadeiro influencer do mercado financeiro.

RESOLUÇÃO DO BANCO CENTRAL: COMO PROMOVER E MONITORAR A SAÚDE FINANCEIRA UTILIZANDO A CIÊNCIA COMPORTAMENTAL E ELEMENTOS DE JOGOS

Em julho deste ano entra em vigor a resolução do Banco Central que determina que as instituições financeiras devem promover ações de educação financeira para os clientes.
Segundo o Banco Central, deve ser incentivado o planejamento e o orçamento pessoal e familiar, uma reserva de emergência sólida e o pagamento de contas em dia, evitando a
inadimplência.

Idioma »