STARTUP E MARATONA: O QUE TEM EM COMUM?

Tá Pago!!!

 

Correr é um hobby, faz bem, motiva, além de ser um momento de reflexão, pensamentos, concentração e felicidade.

 

Falaremos um pouco sobre cada fase da corrida, desde à preparação até à linha de chegada.

 

 

A Corrida

 

Passei por um processo de emagrecimento, chegando a perder 25kg durante 2 anos. E durante esse processo de emagrecimento comecei a participar de algumas corridas de 5km. Aos poucos fui sentindo mais confiança, aumentando as distâncias, até conseguir correr os primeiros 10km, um marco, a primeira evolução e a primeira saída da zona de conforto e encarar novos desafios.

 

Comecei a gostar de correr e participar de várias corridas. Um amigo, depois de um papo sobre corrida, me convidou para participar de uma assessoria de treinamento esportivo, específico de corrida. Então, em outubro de 2018 entrei para assessoria do Fábio Ornelas e estou até hoje.

 

Treinando sem interrupções, evoluindo a cada dia, com um físico legal, saia sempre da zona de conforto, pois queria mais desafios. Foi quando fiz minha primeira viagem para fazer a prova da Volta à Ilha em Florianópolis, 140km de revezamento. Corri 15.700km, foi demais, emocionante, parceria total, um ajudando o outro, pois todos tinham o mesmo objetivo, chegar ao final da dos 140km bem.

 

Aí, veio mais uma saída da zona de conforto, a primeira meia maratona.

 

 

Preparação para os 21,1Km

 

A preparação dos treinos para amadores sempre começa em média 2 meses antes da prova. Tempo suficiente para quem já está treinando em um ritmo legal. E para manter uma boa constância e evoluir para estar bem na prova, 3 tipos de treinos são realizados:

 

  1. Terça – é um treino de explosão, treno de tiro.
  2. Quinta – é um treino regenerativo, um educacional com uma corrida leve.
  3. Sábado – é um treino de distância, onde vamos evoluindo a cada sábado, até chegar ao limite máximo para preparação para prova e depois você reduz u pouco para ajudar na recuperação muscular.

 

Estes treinos são importantes para nos condicionar na respiração, no correr com a cabeça levantada, correr com um bom tênis (primordial e indispensável), se hidratar bem e alimentar conforme o tempo e distância do treino.

 

 

Dia Anterior à Prova

 

Na noite anterior à prova, você já está com o kit da corrida na mão, camisa, short, tênis, gel, acessórios, tudo preparado para o grande dia. As expectativas aumentam. Durante o dia apenas hidratar e comer bem. E à noite, comer uma boa massa com molho vermelho ou sem molho, para que seu organismo possa armazenar carboidrato durante à noite. E dormir bem. Uma ótima noite de sono faz muita diferença ao acordar no dia da prova.

 

 

Dia da Prova

 

Meia maratona realizada em São Paulo no dia 10/04/2022, na Maratona Internacional de São Paulo.

 

 

2 Horas e Meia Antes da Prova

 

Sempre é bom acordar em torno de 2 horas e meia antes da prova, para poder se arrumar com calma. Tomar um banho, tomar um café da manhã e ir até o local da corrida.

 

 

30 Minutos Antes da Prova

 

Esse é o momento que você já está na arena da prova, na área de concentração e a adrenalina vai subindo a cada minuto que passa. Neste tempo, você visualiza pessoas de todos os tipos, magro, gordo, alto, baixo, estrangeiro, pessoas de todo lugar do país. Também é hora de alongar e aquecer bem, para evitar lesões que impeçam de terminar a prova.

 

 

A hora H – A Festa No Início e o Tão Esperado Toque da Buzina

 

E soa a buzina, você passa pelo ponto de largada, o cronômetro do seu relógio começa a rodar e você inicia a trajetória dos 21,1km.

 

O começo é leve, sem pressa, pois ainda falta muito. Vai com um pace alto, pois você está aquecendo, tem muitas pessoas após a largada e você precisa tomar cuidado para não cair. O pace do 1ºkm é alto, para os padrões do treino que você faz, chega a 6’20’’. Ainda está pegando o ritmo da prova.

 

Do 2º ao 5º km, o pace já vai se ajeitando, reduzindo: 5’46’’, 5’46’’, 5’33’’, 5’42’’. Esse trecho de prova, você vai na emoção, na explosão, na empolgação de querer dar o seu melhor, pois você treinou para isso. Mas, você tem que tomar cuidado, pois a prova não acaba em 5km, e por este motivo, você precisa repetir o que fez no treino, ir no seu ritmo de costume e evoluindo a cada km.

 

Esse é um período que a adrenalina vai subindo, o tempo de curtir um pouco a prova e a galera que está em volta, mas mantendo a concentração

 

 

6km ao 12km – Evolução e Constância

 

5’41’’, 5’32’’, 5’52’’, 5’47’’, 5’50’’, 6’07’’, 6’19’’

 

Dos kms 6 ao 12, são processos de evolução, onde é imprescindível você manter a constância. E o bacana de marcar o tempo, que é perceptível quando as subidas ocorrem, pois aumenta o pace. E, nesta corrida em específico, havia várias subidas longas fora e dentro de túneis, o que acaba dificultando na evolução da corrida.

 

Além disso, existe o processo de hidratação. Importante beber água em todos os postos que passar e na hora correta, ingerir o gel carboidrato para repor as energias.

 

 

13km ao 16km – Vamos que Já Passamos a Metade

 

6’29’’, 6’13’’, 7’32’’, 6’52’’

 

Ufa. Nesta corrida em específico, do km 13 para frente ficou um pouco mais difícil de seguir no ritmo desejado e que estava ocorrendo até os 12km. As diversas subidas e túneis no caminho, fizeram sentir um pouco a coxa. Com isso, tive que reduzir um pouco o ritmo para poder ir vencendo km a km. Um momento de muita concentração e foco. Momento que você pensa: “poxa, treinei bem para essa corrida e agora começa a sentir um pouco? Bora que vai dar, Deus vai ajudar a chegar no final. Bora firme e forte em direção ao alvo”.

 

A concentração, a garra, a vontade de continuar e a motivação de ver as outras pessoas correndo faz toda diferença neste momento. Manter o foco e persistir, mesmo na diversidade você continua, não para, apenas puxa aquele fôlego. Às vezes até será necessária uma caminhada breve, parando de correr por alguns segundos, para lhe dá uma rápida recuperação e seguir em frente.

 

A dor ela existe, ela está ali, você precisa ser forte e corajoso, manter o foco para não parar. Você deve conhecer os limites do seu corpo, ter sabedoria para entender se dá para continuar ou encerrar a prova. Prioridade é a nossa saúde sempre.

 

 

17km ao 19km – Falta Pouco, Mas o que Estou Fazendo Aqui?

 

7’07’’, 7’40’’, 7’03’’

 

Esse foi um momento difícil, tive que andar um pouco, pois, por mais que a vontade e a garra era maior, as dores precisaram ser amenizadas com um alongamento rápido, uma parada rápida para poder continuar. Dessa forma, facilitou para dar sequência nos próximos kms.

 

Via algumas pessoas correndo em grupo conversando umas com as outras, comentando sobre as várias subidas, a temperatura dos túneis e o sol que estava começando a aparecer. Porém, não devemos deixar isso nos abalar, porque já passou e está quase no final.

 

Pessoas em volta aplaudindo, dando forças, surge uma motivação para continuar. Está chegando, faltam poucos quilômetros para linha de chegada.

 

 

20,6 km – Sprint Final

 

20km = 8’26’’

 

Chega aos 20km, você começa a escutar o som da arena, vai aumentando o número de pessoas para assistir à chegada. Amigos, familiares, esposas, maridos, namorados, noivos, filhos. Nesse momento junta emoção, gratidão e alegria. Um sorriso que parece não ter fim, junto com um alívio e a melhor de todas, “a sensação de dever cumprido, alvo alcançado”.

 

Nos últimos 500 metros, acontece o que chamamos de sprint final, onde toda dor dos quilômetros anteriores não existe mais, você começa a correr mais rápido, como se estivesse fazendo um treino de tiros. A alegria das pessoas vendo você chegar, mesmo que a maioria não te conhece, mas sabem o desafio que é percorrer todos esses quilômetros.

 

 

21,1 km – A Satisfação, o Êxtase de Finalizar a Prova

 

Uhuuu!!!!

 

Meu Deus, chegou o fim, uma vitória extraordinária. Consegui! Finalmente o fim de uma prova desafiadora. Subidas além do esperado e  túneis muito quente, deixaram a prova um pouco mais desafiadora.

 

Mas, a sensação de chegar ao final, visualizar o relógio que você correu 21,1km, NÃO TEM PREÇO. Total superação, resistência, persistência, força, coragem e paixão. Tem que gostar de correr para chegar a fazer uma prova dessas.

 

E toda essa trajetória de corrida, podemos levar para o meio do empreendedorismo, pois, seja uma meia maratona ou uma maratona (42,195 km), é uma inspiração para a corrida do empreendedorismo. Treino, preparação, resiliência, resistência, ser imparável, garra, força, coragem e amor pelo que faz. As diversas fases da corrida é um exemplo para o mundo do empreendedorismo, ou seja, “tudo na vida é um processo de aprendizado, erros, crescimento e vitórias”.

 

 

3 Provas de 21,1km Realizadas Até Hoje

 

Rio de Janeiro – 2h04min31seg

Punta Del Este – 2h09min33seg

São Paulo – 2h17min57seg

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

A IMPORTANCIA DO FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

É impossível falar de empreendedorismo feminino sem entender a motivação por trás de quem empreende, se a ideia empreendedora veio por oportunidade ou necessidade. Por exemplo, um empreendedor que tem a oportunidade de abrir um negócio estando em uma situação “confortável” seja por investimento interno ou recursos próprios.

Idioma »