SPRINT 23: BOSSA SUMMIT, SXSW, TOKENIZAÇÃO, UNIVERSIDADE, FINTECHS, DESAFIOS JURÍDICOS PARA STARTUPS E MUITO MAIS…

Após entregar o meu último sprint estive no maior evento que conecta startups e investidores, realizado pela Bossa Nova, o Bossa Summit 2023, pois além de ser co-investidor no pool Fintech, sou mentor de Fintechs. Os corredores do evento estavam tomados de startupeiros, investidores, empreendedores e muitos jovens, todos juntos buscando conhecimento, aprendizado e oportunizando muitas trocas. E como um educador, me incomoda sempre ouvir críticas à nova geração, pois especialmente no evento foi maravilhoso ver essa juventude tão focada e engajada apresentando soluções inovadoras para problemas sociais ou da comunidade. Essa experiência me inspirou em escrever um artigo sobre como os jovens se destacaram no campeonato da Liga Jovem, que também faço referência na retrospectiva desse sprint.

 

O evento da Bossa Nova é uma oportunidade para conhecer soluções disruptivas e novos modelos de digitalização que buscam eliminar a fricção no mercado, além de ser um excelente espaço para networking com investidores que compartilham suas experiências formando uma rede colaborativa.

 

Nas próximas linhas entrego mais uma vez minha retrospectiva de todo o conteúdo gerado nesse sprint, com o objetivo de trazer conhecimento aos startupeiros e a todos os entusiastas por tecnologia e inovação.

 

 

RETROSPECTIVA – KADBLOG & KADMOTEK

 

SXSW 2023

 

O conteúdo para o SXSW 2023 foi o principal foco deste último sprint, um evento que reúne pessoas de diversas áreas para discutir inovação, tecnologia e cultura. Neste evento, a inteligência artificial foi um dos destaques, sendo usada para criar soluções inovadoras em diversas áreas, como saúde, educação e meio ambiente.

 

Escrevi um artigo destacando a importância da diversidade de ideias e de pessoas no processo de inovação, enfatizando que a colaboração entre pessoas com perspectivas diferentes pode levar a soluções mais criativas e eficientes. Além disso, duas lives foram realizadas, onde convidei Paulo Roberto, Luciana Potsch, Jimmy Lui, Mario Lemos, Barbara Ubaldo e Rogério Favetta, para discutir muitas trends, como inteligência artificial generativa, quociente de curiosidade, cannabis, ESG, crise Global da saúde e diversidade, e muuuuuito mais… Para o próximo sprint, está previsto um artigo sobre o conteúdo dessas lives. Se você perdeu esses bate papos riquíssimos de informações acesse e confira na íntegra.

 

DESAFIOS JURÍDICOS NAS STARTUPS

 

Nicolas Fabeni destaca como as startups podem evitar problemas jurídicos em seu funcionamento. As questões legais devem estar no radar das startups desde sua concepção, incluindo registro da empresa, contratos com fornecedores e clientes, propriedade intelectual e proteção de dados. Existem advogados especializados em startups que poderão auxiliá-lo no processo, também é importante fazer acordos claros com sócios e colaboradores, além de estar sempre atualizado sobre as leis e regulamentações do mercado em que atuam.

 

Além disso, o artigo também ressalta que investir em prevenção pode ser muito mais barato do que lidar com processos judiciais no futuro. Na mesma linha jurídica, João Paulo traz as diferentes opções que as startups têm quando precisam mudar seu status jurídico, seja fundindo-se com outra empresa, adquirindo outra empresa ou vendendo a própria empresa. Essas mudanças podem ajudar as startups a crescer e alcançar novos objetivos, mas é importante avaliar cuidadosamente a situação financeira da empresa e considerar as implicações legais de cada opção.

 

 

BOSSA SUMMIT & UNIVERSIDADES – CONECTANDO OS JOVENS ÀS STARTUPS

 

Quase em dueto com Ana Paula Avanci, que escreveu sobre a união entre universidades e startups, que pode trazer muitos benefícios para ambos os lados. As universidades podem fornecer recursos como laboratórios, mentorias e financiamentos para ajudar as startups a desenvolverem suas ideias e produtos. Já as startups podem trazer inovação e novas ideias para as universidades, além de ajudar a tornar a pesquisa mais aplicada e relevante para o mercado.

 

Eu, escrevi o artigo sobre o Desafio da Liga Jovem, realizado pelo Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em parceria com o Instituto Ideias de Futuro, que aconteceu no Bossa Summit, e teve a grande final disputada nos dois dias do evento. A Liga Jovem é a maior competição nacional de empreendedorismo e tecnologia para estudantes do ensino fundamental e médio do país, com mais de 5 mil inscritos de todos os Estados brasileiros, com o propósito de desenvolver projetos inovadores usando tecnologia.

Ambos os artigos demonstram a importância da presença da universidade no ecossistema de startups.

 

 

FINTECHS – ANÁLISE DE CRÉDITO

 

Leandro Zen escreveu sobre o processo de tomada de decisão das Fintechs em relação ao empréstimo de dinheiro para pessoas. O autor destaca que as fintechs utilizam tecnologias como inteligência artificial e big data para avaliarem o histórico financeiro e o comportamento de consumo dos indivíduos a fim de determinar o risco de conceder empréstimos. Esse processo de análise de crédito é um ponto de diferenciação entre bancos tradicionais e fintechs, que também se distinguem pela rapidez dos processos e pelas taxas de juros praticadas.

 

 

TOKENIZAÇÃO DE ATIVOS

 

Alfredo Moreira escreveu sobre nosso bate-papo no C7Cast, e abordou sobre a tokenização de ativos e como essa tecnologia pode ser aplicada no mercado automotivo. A tokenização de ativos consiste na transformação de ativos em tokens digitais que podem ser comprados, vendidos e negociados na blockchain. No setor automotivo, a tokenização de ativos pode permitir a compra e venda fracionada de veículos, o que torna o mercado mais acessível e flexível. Além disso, a tokenização de ativos pode ajudar a reduzir fraudes e aumentar a transparência nas transações. O autor apresenta exemplos de como essa tecnologia pode revolucionar o mercado automotivo, destacando algumas das principais oportunidades e desafios dessa abordagem.

 

PRÓXIMO SPRINT

 

A live do próximo sprint será sobre o Bossa Summit. Convidei Ana Laura Rebello, Fabio Leger e Ricardo Hiraki, respectivamente da Leonora Ventures, iCertus e Plano, para compartilharem suas visões sobre o segundo evento organizado pela Bossa Nova, na ponto de vista de uma empresa de capital de risco e dessas Fintechs.

 

Além disso, teremos um artigo sobre as lives da SXSW e da ACREFI, juntamente com conteúdo sobre tokenização, fintechs, home office, e desafios jurídicos enfrentados por startups.

 

Recordar é viver, lembre-se de:

• Curtir

• Comentar

• Compartilhar

• Seguir nos canais: LinkedIn e Youtube

• Assine nossa newsletter

 

A Kadmotek é uma venture capital que investe em startups na fase early stage, e busca fornecer conteúdo para apoiar os fundadores durante essa jornada. Isso é feito através de artigos de convidados com experiência comprovada, bem como lives e vídeos disponíveis em nosso canal no YouTube.

 

#partiu

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

OPEN FINANCE – O PODER DA INCLUSÃO A UM CLICK

O desenvolvimento do nosso ecossistema financeiro vem sendo muito elogiado no mundo inteiro. Para se ter uma ideia da importância dessa agenda, o PIX tem mais de 141 milhões de pessoas com suas chaves e 12,7 milhões de empresas que usam o sistema de pagamento diariamente. O volume transacionado foi de mais de R$ 3,8 bilhões, tornando-o principal meio de pagamento utilizado pelos clientes.

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

Idioma »