LEGADO DIGITAL E SOCIAL DA PANDEMIA

Embora não tenha acabado, a Pandemia de Covid-19 finalmente parece começar a arrefecer, o que vem gerando em todo o mundo medidas de flexibilização no uso de máscaras, entre outras medidas de liberação na circulação de pessoas.

 

Sem dúvida nenhuma, tudo é muito bem-vindo, com a salutar parcimônia que deve (ou deveria) permear as ações de cada um de nós.

 

Mas, qual o legado desta pandemia?

 

Será o mesmo da Copa de 2014 ou das Olimpíadas de 2016? Espero que não…

 

E do ponto de vista tecnológico e social? Há algum legado?

 

Certamente este tema continuará a ser estudado ao longo dos próximos anos, e deveremos colher diversos benefícios disso, e, visando colaborar um pouco com este debate, analisando o que vem acontecendo mais especificamente no Brasil, acredito que seja unânime a percepção, por exemplo, dos seguintes tópicos:

 

• Foram mais do que evidenciados os problemas estruturais na Gestão da Saúde Pública;

 

• Medidas Emergenciais de Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho foram implementadas em uma realidade empresarial que pouco se preocupa com o tema;

 

• Medidas Emergenciais de Gestão Trabalhista foram implementadas até que com êxito, apesar das costumeiras discussões políticas que pouco tem mostrado eficiência;

 

• Aceleração do Processo de Transformação Digital;

 

• Agora todo Brasileiro sabe o que é um Equipamento de Proteção Individual (EPI);

 

• Intensa digitalização de processos governamentais, empresariais e pessoais (escalabilidade);

 

• Transformação Cultural e Comportamental Forçada

 

 

Tópicos de análise certamente não faltam, mas existe um em especial que permeia, se não todos, a grande maioria, que foi o uso massivo da Tecnologia.

 

Mas, quando falamos em tecnologia, o que primeiro nos vem à mente são computadores potentes, internet das coisas, super smartphones, etc.

 

Porém, é importante lembrar que, Tecnologia, é o uso de técnicas e do conhecimento adquirido para aperfeiçoar e/ou facilitar a vida das pessoas, por exemplo com a resolução de um problema ou a execução de uma tarefa específica.

 

Dessa forma, ela pode ser aplicada em diversas tarefas diferentes, inclusive aparecendo em situações, desde o simples aproveitamento dos recursos naturais, até a transformação do ambiente em nosso favor.

 

Nesse momento de retomada (se é que assim podemos considerar), aparecem diversas iniciativas, dentre as quais elencamos abaixo, com os correspondentes links para que possamos nos aprofundar juntos:

 

• Governo brasileiro atinge marca de 1.500 serviços digitalizados em 34 meses

 

• BR inicia envio de mensagens aos cidadãos para ofertar serviços públicos digitais

 

• Ministro do Trabalho e Previdência assina acordo para realização da perícia médica com uso da telemedicina

 

• Fabricante global de equipamentos de segurança doou 20 mil máscaras de proteção

 

• Nova lei cria regras de proteção para entregadores de aplicativo

 

• Como as empresas podem reduzir em mais de 80% o tempo de contratações com uso de inteligência artificial

 

• Adoção de modelos permanentes e opcionais para home office, trabalho híbrido ou presencial, em prol da saúde mental dos colaboradores

 

• Formato permanente de trabalho remoto

 

 

Agora, outra coisa também é certa…

 

A Tecnologia é usada tanto para o bem, quanto para o mal, uma vez que a evolução tecnológica não surgiu somente para “despertar o que há de melhor” nos seres humanos.

 

Em diversos fatores, como nos instrumentos bélicos e de guerra, por exemplo, ela também exerceu grande influência, ajudando na sua evolução e na criação de máquinas cada vez mais mortíferas.

 

Outro exemplo é a disseminação de notícias falsas (as tais “FAKE NEWS”), e o dilema da liberdade de expressão e utilização cada vez mais massiva das redes sociais, que, por si só, não são boas nem ruins, pois essa classificação aplica-se muito mais às pessoas que delas fazem uso!

 

Também temos os constantes vazamentos de dados pessoais e a criatividade das pessoas, neste caso usada de maneira condenável, para a criação de diversos golpes inovadores:

 

• De novo: vazamento expõe dados de 223 milhões de brasileiros;

 

• Em novo golpe, falso entregador pede ‘foto de confirmação’ e recebe financiamento de até 100 mil reais em nome da vítima;

 

• Anatel descobre programa espião em aparelho ‘gatonet’ mais vendido do país;

 

 

Novamente, e como já dissemos em outras ocasiões, embora a tecnologia, via de regra venha para nos ajudar, o ser humano é a chave para o sucesso ou para o atraso de tudo…

 

Portanto, neste reinício, e pegando emprestado um trecho da descrição de um vídeo de Deivison Pedroza, publicado no You Tube bem antes da pandemia, e visando que nós, SERES HUMANOS, possamos utilizar a TECNOLOGIA a favor de nossas relações interpessoais que aos poucos são retomadas, te pergunto:

 

On ou off – De que lado você está?

Está passando a hora de Reiniciar!

Tudo pode ser diferente

Basta você se ligar

Que o mundo pode ser igual, mas diferente! …”

 

 

Assista ao vídeo, vale a pena!

 

Mas, principalmente, façamos diferente e melhor!

 

Sucesso para nós!

 

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

OPEN FINANCE – O PODER DA INCLUSÃO A UM CLICK

O desenvolvimento do nosso ecossistema financeiro vem sendo muito elogiado no mundo inteiro. Para se ter uma ideia da importância dessa agenda, o PIX tem mais de 141 milhões de pessoas com suas chaves e 12,7 milhões de empresas que usam o sistema de pagamento diariamente. O volume transacionado foi de mais de R$ 3,8 bilhões, tornando-o principal meio de pagamento utilizado pelos clientes.

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

Idioma »