INOVAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS NA PREVENÇÃO A FRAUDES

A tecnologia está cada mais presente em nossas vidas e caminha junto com a inovação. Mas você sabe qual é a diferença entre elas? Bem, de forma breve, podemos dizer que tecnologia é um conjunto de recursos modernos que são desenvolvidos para automatizar operações, trazer praticidade e eficiência aos processos e procedimentos, já a inovação é uma novidade de qualquer espécie, vem da palavra innovatione, processo de inovação sempre é um ato coletivo. Dito isso, podemos dizer que tudo que usamos no nosso dia a dia “respira” tecnologia ou é movido por tecnologia e ela já está presente em todas as áreas trazendo sempre, e cada vez mais, muita praticidade, eficiência, redução de custos e tempo hora/homem e ampliando conhecimento daqueles que utilizam processos tecnológicos.

 

Mas hoje quero falar sobre uma vertente da tecnologia capaz de prevenir fraudes. É isso mesmo, você não entendeu errado. A tecnologia também pode e deve ser usada para identificação e prevenção de fraudes, garantindo maior segurança para empresas e consumidores e isso é possível com o uso de inteligência artificial, blockchain, análise de dados em tempo real, biometria e tanto outros recursos que possibilitam a detecção de anomalias e comportamentos suspeitos, reduzindo os riscos de fraudes. Essa pauta foi tema de uma live da ACREFI – Inovação e novas tecnologias na prevenção de fraudes – da qual foi convidado para participar junto com Gilberto Albuquerque, CEO da Kadmotek, Renato Virches, CEO da Vetera Tecnologia e com mediação de Cintia Falcão. Trago hoje nesse artigo uma síntese do nosso bate papo, mas recomendo a você, caro leitor, que assista o vídeo na íntegra.

 

A inovação tecnológica e sua constante expansão permite o desenvolvimento de soluções mais eficazes e eficientes para a identificação de atividades suspeitas ou fraudulentas. Com isso, a implementação de sistemas automatizados de detecção e prevenção de fraudes, que utilizam algoritmos de aprendizado de máquina e técnicas de mineração de dados, permite a análise de grandes volumes de informações em tempo hábil, o que aumenta a efetividade das medidas preventivas. Outro fator importante é a implementação de soluções mais seguras e confiáveis para a identificação de indivíduos e transações, como por exemplo, a autenticação através de reconhecimento facial, de voz e até mesmo da íris, o que garante mais precisão e confiabilidade, reduzindo assim as chances de fraudes por meio de roubo de identidade.

 

O uso dessas tecnologias pode reduzir, significativamente, os riscos de perda financeira e danos à reputação de empresas e organizações. Além disso, a implementação de sistemas automatizados, inteligência artificial e big data analytics também podem ajudar na identificação de padrões de comportamento suspeitos e transações fraudulentas. No entanto, é importante frisar que a tecnologia não fará tudo sozinha e, tão importante quanto implementar processos tecnológicos, é imprescindível o fator humano com uma abordagem abrangente, envolvendo processos de controle interno, políticas de compliance e treinamento dos colaboradores.

 

Os controles e políticas internas são essenciais e ajudam a mitigar ocorrência de fraudes e o ponto de partida ou a grande dica para as empresas é a criação de um data lake, que nada mais é que um repositório que armazena, processa e protege grandes quantidades de dados, permitindo monitoramento seguro de todo o ciclo de acesso, além do contato com o cliente e controle das informações garantindo efetividade e maior segurança, uma vez que qualquer anomalia dentro desse ciclo já evidencia uma possibilidade de risco. Um bom exemplo é o open finance que permite, com autorização do cliente e em estrito cumprimento à LGPD, o compartilhamento de dados entre instituições financeiras.

 

Quando falamos em fraudes, engana-se quem pensa que elas atingem apenas grandes empresas, corporações ou organizações. A fraude pode ocorrer em vários contextos, como poe exemplo em negócios, finanças, governo, transações comerciais, tecnologia, entre outros. Existem tipos diferentes de fraude e alguns exemplos comuns incluem: fraude financeira: como falsificação de documentos financeiros, manipulação de informações contábeis ou de relatórios financeiros ou uso de dívidas de fundos ou recursos financeiros e demais transações e operações financeiras; fraude empresarial ou comercial: pode incluir práticas comerciais enganosas, publicidade falsa, competência desleal ou roubo de propriedade intelectual; fraude online: essa em especial pode atingir toda e qualquer pessoa que se utiliza do ambiente online para transações, se não tiver o mínimo de atenção e cuidado, pois está relacionada com phishing, fraude em cartões de crédito, roubo de identidade, redes sociais; fraude no âmbito da saúde que pode incluir fraude em seguros de saúde, falsificação de programas de atenção médica ou venda de medicamentos falsificados e muito mais.

 

Mesmo com crescente avanço tecnológico, atualmente o contato telefônico ainda é muito utilizado e com ele as técnicas de engenharia social que é aquela persuasão para obter do cliente informações confidenciais e privilegiadas, com uso de táticas de carisma extremo, reações emocionais, confiança da vítima e até manipulação psicológica. No entanto, por trás de toda essa engenharia social pode, muitas vezes, estar um golpista usando uma identificação falsa e enganosa para obter do cliente informações valiosas para a aplicação de um golpe ou fraude. É cada vez mais comum, por exemplo, casos de boletos fraudados em que um golpista faz contato com o cliente se passando por uma instituição financeira com a promessa que o cliente foi selecionado para participar de uma determinada campanha e que pagando o boleto naquele dia ganhará um desconto de 50% do valor, o que na verdade é um golpe e o boleto é falso.

 

Por essa razão é preciso ter muito cuidado e atenção. Sempre desconfie de contatos recebidos e redobre sua atenção ao fornecer informações, pois do outro lado da linha pode estar um golpista roubando suas informações. Outra dica valiosa: nenhuma instituição solicita depósito antecipado para fazer oferta de crédito, então tenha cuidado!

 

Além dos fatores atenção e cuidado, imprescindíveis a todos, também é possível utilizar a tecnologia a nosso favor para prevenir ações fraudulentas e repito, da mesma forma como a fraude não acomete apenas as grandes empresas ou organizações, as tecnologias também não são restritas apenas para elas e não só podem como devem ser usadas por todos para garantir assim maior segurança e minimizar os riscos de ações indesejadas. Veja algumas das tecnologias disponíveis:

 

Inteligência artificial e aprendizado de máquina: a IA e o aprendizado de máquina são usados ​​para detectar padrões suspeitos e comportamentos incomuns, o que ajuda a identificar possíveis atividades fraudulentas.

 

Biometria: é uma tecnologia de identificação baseada em características físicas exclusivas, como impressões digitais, reconhecimento facial e de voz, garantindo que apenas as pessoas autorizadas possam acessar informações confidenciais.

 

Blockchain: essa tecnologia é usada para manter um registro seguro e imutável de transações, impedindo a adulteração ou a alteração de dados, com isso, ela garante que todas as transações sejam transparentes e autênticas.

 

Monitoramento em tempo real: é usado para detectar possíveis atividades fraudulentas quando estão ocorrendo, o que permite uma ação rápida das empresas para impedir a fraude antes que ela ocorra.

 

Autenticação multifatorial (MFA): requer que o usuário forneça mais de uma forma de autenticação para acessar uma conta ou serviço, como uma senha ou um código enviado para um dispositivo móvel, dessa forma, apenas os usuários autorizados podem acessar informações confidenciais.

 

Machine learning e detecção de comportamento: Algoritmos de machine learning podem ser treinados para identificar padrões de comportamento de usuários legítimos e detectar comportamentos anômalos que podem indicar atividades fraudulentas. Esses algoritmos podem ser ajustados continuamente para melhorar a precisão na detecção de fraudes à medida que novos dados se tornam disponíveis.

 

Bom, se você gostou de todas essas informações e quer saber mais sobre como a tecnologia pode ajudar na prevenção de fraudes recomendo que assista na íntegra o vídeo da live disponível abaixo, e se você ainda não faz uso de nenhuma das tecnologias citadas acima, está esperando o que? Corra e implemente uma delas ou todas em sua vida, sua empresa, seu negócio, afinal de contas: É melhor prevenir do que remediar.

 

Fica a dica!

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

A IMPORTANCIA DO FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

É impossível falar de empreendedorismo feminino sem entender a motivação por trás de quem empreende, se a ideia empreendedora veio por oportunidade ou necessidade. Por exemplo, um empreendedor que tem a oportunidade de abrir um negócio estando em uma situação “confortável” seja por investimento interno ou recursos próprios.

Idioma »