INOVAÇÃO: COMO COLOCAR A IDEIA EM PRÁTICA

Na nova economia, inovar é mais do que uma necessidade, para alguns setores é uma questão de sobrevivência. Mais do que ter uma boa ideia, o que faz a diferença é coloca-la em prática. O inventor Nikola Tesla, por exemplo, teve varias ideias, como motores de indução, telegrafia, rádio, controle remoto, entre outros , mas morreu pobre,  por não conseguir coloca-las em prática.Thomas Edison, por sua vez, provavelmente menos brilhante que Tesla, morreu rico e famoso porque era bom em colocar em prática. A execução é o ponto central da inovação, conseguir vender sua ideia, quanto mais inovadora for, mais difícil  será conseguir alguém que invista o mínimo de recurso para o desenvolvimento, mesmo que seja o MVP.

 

Para conseguir capital, importante consistir em quatro fatores: 1) Quem você é (sua capacidade de desenvolver ideias e soluções criativas e sua habilidade de persuasão), 2) Quem você conhece (sua relação com quem pode investir), 3) O que você fez (seu histórico e sua reputação em inovação), 4) O que você faz para atrair a atenção e credibilidade para si e para suas ideias (o que chamamos de amplificadores de impressão).

 

Segundo Jeff Dyer (Prof de Estratégia da Brigham University), Nathan Furr (Prof de Estratégia da Insead) e Mike Hendron ( Prof de empreendedorismo da BY University), os amplificadores são muito importantes para gerar atratividade ao seu negócio.

 

• Comparação: Encontrar analogia certa para convencer os apoiadores do potencial sucesso da sua ideia. Ex: Em 2000, quando Robin Chase cofundou o ZipCar, serviço online de aluguel de carro por períodos curtos, na época,  apenas 50% da população tinha acesso à internet na cidade de Boston. Os potenciais investidores tinham duvidas para entender por que as pessoas se interessariam por uma plataforma de compartilhamento de carro.  A solução veio quando ele comparou a sua empresa com um Caixa Eletrônico, onde os clientes pagam quando usam.

 

• Materialização: Tornar um conceito abstrato em tangível, visível e real. Se a principal dúvida é se haverá clientes interessados, priorize a materialização. A fundadora da Rent the Runway, Henn Hyman, não tinha certeza se as mulheres teriam interesse em alugar pela internet vestidos assinados por estilistas. Assim, antes de montar um sistema de distribuição e logística, ela fez um teste. Primeiro unidade física e depois online. Os resultados provaram a demanda existente e levaram a Bain Capital a investir na iniciativa.

 

• Fazer Storytelling: Elaborar uma narrativa que dê aos ouvintes motivos para acreditar na sua ideia. Provoque reações emocionais, assim como a Vanessa Quigley quando apresentou uma proposta de serviço de compartilhamento de fotos, onde o publico alvo era os pais. Gavin Christensen, da Kickstart, disse que não gostava do produto, mas que deveria investir, depois que Vanessa falou do filho em lagrimas por causa de um álbum que o professor de infância tinha feito e estava cheio de fotos que não tinha compartilhado, em resumo, criou-se a empresa Chatbook que teve receita superior a U$ 30 milhões de dólares.

 

• Sinalizar: relacionar-se com grupos confiáveis que conferem legitimidade à sua ideia. Conseguir pessoas com legitimidade para apoiar o seu negocio pode ajudar muito na jornada. De acordo com uma pesquisa com mais de mil startups, o endosso de uma instituição de desenvolvimento, como uma incubadora, aumenta as chances de investimento de 5% para 44% e  chances de financiamentos.

 

• Exercer pressão social: criar a sensação de que é preciso agir rápido ou ficará para trás. Um gerente de uma grande empresa queria usar robôs para fazer inventario de estoque, seu CEO não estava convencido. Nessa situação, conseguiu testar a ideia em uma empresa do grupo, com o grande sucesso do teste, o CEO concordou de imediato com a proposta devido ao principio da escassez a empresa fez uma grande encomenda.

 

• Comprometimento: Convencer os outros com ações claras, pessoais e irreversíveis. No inicio do projeto da Tesla, os investidores estavam inseguros em investir no plano ousado e caro de Musk. No entanto, quando ele se dispôs a usar o seu próprio capital para financiar a empresa, os outros aderiram, porque ele mostrou que estava confiante no sucesso. Musk tinha colocado o seu futuro e da sua família em risco.

 

 

Embora todos nós possamos construir capital humano, social e reputacional a longo prazo, para obter suporte no curto prazo é importante usar as técnicas acima para angariar recursos e transformar sonho em realidade.

 

 

Uma excelente semana e até a próxima coluna!

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

A IMPORTANCIA DO FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

É impossível falar de empreendedorismo feminino sem entender a motivação por trás de quem empreende, se a ideia empreendedora veio por oportunidade ou necessidade. Por exemplo, um empreendedor que tem a oportunidade de abrir um negócio estando em uma situação “confortável” seja por investimento interno ou recursos próprios.

Idioma »