FEBRABAN TECH 2023: O PAPEL DAS FINTECHS NA TRANSFORMAÇÃO DO SETOR FINANCEIRO

Quem acompanha o meu conteúdo já sabe que eu gosto de estar presente em congressos, feiras eventos, palestras e workshopps, principalmente quando se trata de temas relacionados com inovação, tecnologia, e web 3.0 e tudo aquilo que se relaciona com esse meio. No primeiro semestre desse ano já participei de eventos nacionais e internacionais, conheci tecnologias novas, aprendi muito por onde passei, com as pessoas, com a cultura, com as inovações e experiências que vivi e, para voce que me acompanha nas redes sociais, certamente viu um pouco da minha rotina de nômade digital.

 

Bom, mas hoje quero falar sobre mais um evento muito importante para o setor financeiro, na verdade o maior evento de tecnologia e inovação do setor financeiro da américa Latina à FEBRABAN TECH. Excepcionalmente esse ano, por questões de conflito de agenda, me ausentei, pois no mesmo período eu estava na Europa conhecendo e prestigiando a Money/2020 (Amsterdã), London Tech Week, London AI SUMMIT e Five point Zero (Zug – Suiça), que também foram eventos incríveis. Fica a sugestão de ler meus artigos sobre os eventos que acompanhei na minha última viagem, digo artigos, pois viajei com o propósito de conhecer a Money/2020, mas chegando lá, acionei meu modo nômade digital, passei por Londres e fui até a Suíça acompanhar outro importante evento do universo Web 3.0.

 

MONEY 20/20 INSIGHTS E TENDÊNCIAS DA INOVAÇÃO FINANCEIRA

 

O IMPACTO DO BREXIT NAS STARTUPS LATINAS EM LONDRES

 

BLOCKCHAIN & WEB 3.0 – UM ENCONTRO NO CRYPTO VALLEY

 

Ainda que ausente fisicamente da 33ª edição da FEBRABAN TECH, não posso deixar de comentar sobre a importância desse evento para o setor financeiro, as oportunidades que surgem para startups, fintechs, as conexões que o evento proporciona à todos, as pautas e temas discutidos no evento e claro, as tecnologias e inovações que são apresentadas.

 
 

FEBRABAN TECH 2023: As inovações das Fintechs

 

Tive a honra de receber em nosso canal do YouTube  as ganhadoras do prêmio Arena Fintech Rafaela Helbing CEO da  Data RudderRiccardo Lanzuolo CEO da  4KST – Unlimited Vision e João Carita Junior Diretor da SF3 e Vice Presidente da ACREFI ,  para contar um pouco sobre a FEBRABAN TECH e suas expectativas.

 

A  Data Rudderfoi uma das vencedoras com sua solução tecnológica que permite detectar “contas-laranja”, analisar riscos a partir de score de chaves PIX, e transações com captura de longitude e latitude do usuário, nas chamadas safe zone. Essa Fintech liderada por duas founders, recém investida pela Sinqia, tinha no seu modelo original a análise de dados para crédito, mas identificou a oportunidade no mundo PIX, ainda mais depois da publicação da resolução 6, que cobrou mais ações das instituições financeiras em prover recursos para as fraudes em PIX, uma ferramenta única nesse momento do mercado financeiro.

 

Já a  4KST – Unlimited Vision, conquistou seu bicampeonato na Arena Fintech com Adaptive AI aplicada a open finance e cripto uma solução que permite construir modelos de credit score em grandes volumes de dados com alta volatilidade. Uma empresa formada por cientistas de dados, que entenderão que o modelo tradicional de analisar somente o histórico passado, acaba desconsiderando os novos paradigmas q estamos inseridos, a partir dessa análise criaram o data streaming model, um algoritmo que analisa em tempo real o que está acontecendo no ambiente, viabilizando análises assertivas.

 

Nosso outro convidado, João Carita Junior, representou as personas, compartilhou sua visão do evento, aproveitou para questionar as startups, e dentre as várias palestras que assistiu, recomendo a leitura do artigo DESVENDANDO UM FUTURO TRANSFORMADOR: LIÇÕES DA FEBRABANTech 2023, em que João Carita Junior, detalha melhor cada uma delas, ele também nos brindou um pouco sobre a palestra de Gil Giardelli com o tema: A Transformação da Sociedade através da Compreensão, que faz parte do artigo publicado no kadblog.  Destacando futurismo e inovação prática no mundo financeiro, Gil Giardelli falou sobre as tendencias da IA generativa destacando que a sociedade 5.0 surge como uma visão baseada em educação, inovação e valores, interagindo com espiritualidade, ciência e sociedade para impulsionar cada vez mais a inovação, formando a conexão que chamou de 3´S, “Spirituality, Science, Society” (espiritualidade, ciência e sociedade), pilares essenciais e importantes um ciclo de evolução constante, como é a inovação.

 
 

FEBRABAN TECH – Infraestrutura

 

Eventos como a FEBRABAN TECH desempenham um papel fundamental na indústria financeira, pois reúnem profissionais, especialistas e líderes do setor financeiro e tecnológico para discutir as tendências emergentes, compartilhar conhecimentos, apresentar novas soluções e debater os desafios e oportunidades que a tecnologia traz para o setor financeiro. So fazendo um paralelo entre a FEBRABAN TECH e os eventos internacionais, um ponto muito positivo desta última edição, além da escolha do local, tanto pela localização, quanto pelo amplo espaço, o que permite uma melhor acomodação do público, foi o fato de que esse ano todos os ingressos foram vendidos e não houve lote de ingressos gratuitos. Isso fez com o evento tivesse um público seleto e com interesse específico em buscar algo, conhecer novas tecnologias e aprender sobre os temas propostos.

 

A exemplo disso são os eventos internacionais e que funcionam a décadas nesse formato. A venda do ingresso literalmente condiciona o comprador a adquirir apenas se tiver algum interesse com o evento, seja para troca de conexões, networking, ou para buscar e conhecer o que o mercado tem de mais novo e interessante para o setor, ou ainda para aprender sobre os temas de destaque do evento. Quando o evento é aberto ao público, com entrada gratuita, acaba perdendo um pouco da essência, as trocas ficam tumultuadas, o aprendizado se dispersa, infelizmente, chegando a comprometer a qualidade do evento devido ao espaço x lotação.

 
 

FEBRABAN TECH – FINTECHs

 

Apesar do discurso polêmico, na minha opinião, e da grande repercussão que gerou a fala do presidente da FEBRABAN na abertura do evento ao criticar as fintechs e bancos digitais, vale salientar que as FINTECHs que são entrantes no mercado possuem como característica o desenvolvimento de um único produto ou serviço exatamente para garantir a excelência do seu produto e com isso ofertá-lo com custos significativamente mais baixos priorizando a experiência do usuári. A exemplo disso temos o NuBank, Creditas, PicPay, Stone dentre muitas outras.

O objetivo das fintechs é oferecer soluções financeiras mais eficientes, acessíveis e convenientes para consumidores e empresas e elas surgem da necessidade de tirar fricção do mercado, de desburocratizar processos e torná-los minimamente mais eficientes, de dar mais transparência e tornar mais acessíveis o acesso aos serviços financeiros, usando para isso tecnologias como aplicações móveis, análise de dados, inteligência artificial, blockchain e outras inovações, o que falta nos bancos tradicionais.

 

As fintechs ou bancos digitais não são os vilões da história, representam um risco aos bancos tradicionais, elas nasceram para suprir fortes dores da sociedade e estão desempenhando seu papel em provocar mudanças na experiência dos usuários, impacta e causa temor, mas o que falta é cooperação, dos diversos entes da cadeia para termos um ambiente financeiro melhor para todos no mercado que permite o fomento à nossa economia.

 

As fintechs não nasceram para extinguir os bancos tradicionais, mas para criar um ambiente inovador e mais acessível, e é inegável que milhares de pessoas foram incluídas no sistema financeiro desde a chegada dos neobanks.

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

A IMPORTANCIA DO FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

É impossível falar de empreendedorismo feminino sem entender a motivação por trás de quem empreende, se a ideia empreendedora veio por oportunidade ou necessidade. Por exemplo, um empreendedor que tem a oportunidade de abrir um negócio estando em uma situação “confortável” seja por investimento interno ou recursos próprios.

Idioma »