EXPLORANDO O UNIVERSO WEB 3.0: REFLEXÕES A PARTIR DA WEB3VALLEY

Ao final do Blockchain Festival Rio 2023, posso dizer que minhas expectativas foram superadas

 

No último mês de setembro tive o privilégio de participar de dois eventos que ofereceram uma visão fascinante do que está acontecendo no mundo do Web 3.0 no Brasil. Esses eventos não estavam propondo comprar ou vender criptoativos e nem apresentar empresas com modelos de pirâmides, infelizmente algo presente de forma agressiva e pejorativa nas redes sociais e nas mídias tradicionais, mas de fato eles proporcionaram uma imersão profunda em um ecossistema que abraça a tecnologia blockchain e é impulsionado pela comunidade. E aqui compartilho minhas reflexões sobre essas experiências enriquecedoras.

 

Web3Valley – Imersão Angel 3.0

 

O primeiro evento que participei foi o  Web3Valley – Imersão Angel 3.0, organizado pelos fundadores Daniel Constantino de Oliveira e Guto Farias. Este evento, voltado para investidores, proporcionou um ambiente íntimo e um conteúdo de altíssima qualidade. O mercado emergente baseado na tecnologia blockchain é acompanhado por uma filosofia de comunidade que nos faz relembrar as civilizações antigas que prosperavam com base em princípios de apoio mútuo.

 

Durante o evento, fomos agraciados com debates informativos, como:

 

• Mitos e Verdades da Tokenização, onde painelistas como Mayra SiqueiraNathaly DinizDaniel de Paiva Gomes compartilharam suas perspectivas.

• Investimento em Tecnologia Disruptiva, que contou com a experiência de Ana WestfalBruno AngellaEduardo de Paiva Gomes;

• Startup Web 3.0: O Novo Ativo de Investimento, com insights valiosos de Patrícia Aiello; Gabriel Albuquerque; Pedro Mace e também mediada por Eduardo de Paiva Gomes.

 

Além disso, tivemos a oportunidade de ouvir o caso de sucesso do Mercado Bitcoin, que está expandindo seu foco de exchange para uma plataforma whitelabel para várias empresas e lançando uma plataforma de tokenização de projetos, apresentada por Fabrício Tota, diretor de novos negócios.

 

Acesse aqui e responda ao Censo Investidores 2023! Queremos ouvir você!

 

A programação culminou com a apresentação de quatro pitches, dos quais tive a honra de orientar três novos entrantes no mercado Web 3.0: DeTask Co, Gregg e Investy Club. Além disso, conheci a DFB, uma empresa do grupo Transfero Group, que também participou do evento, representada por seu founder Pedro Mace.

 

Blockchain Festival Rio

 

O segundo evento, o Blockchain Festival Rio, liderado por  Francisco Carvalho foi uma experiência igualmente empolgante. Ignorando o Bear Market, o evento reuniu não apenas entusiastas, mas também grandes players nacionais. Isso se deve, em grande parte, ao ambiente regulatório pioneiro do Brasil no ecossistema de criptoativos.

 

O evento de três dias no Rio de Janeiro ofereceu dezenas de palestras divididas em várias trilhas, incluindo:

 

• Palco Comunidades

• Gov Tech Stage

• Web 3.0 Experience

• Insights Stage

• Palco ASSESPRO

• Industry Stage

• Futuro Stage

• Sala SEBRAE

 

Participei de vários painéis informativos, mas admito ter sentido um FOMO (Fear of Missing Out, o medo de perder algo importante) constante, já que muitos insights valiosos surgem das interações com os expositores e outros participantes. Em um ambiente onde as pessoas estão ansiosas para explorar a disrupção nos processos tradicionais, essas conversas são inestimáveis.

 

Dentre os painéis que assisti destaco:

 

• Desafios da Descentralização em Grandes Empresas, com insights de Thomas Rebergue, Reinaldo Rabelo, Leandro Pereira e Fabio Cendão.

• Estruturas Jurídicas para DAOs: O Que Podemos Fazer no Brasil, explorado por Heitor Maia, Luciana Simões, Felipe Palhares e Carl Amorim.

• O Papel do CBDC Brasileiro (Drex) em Empréstimos e Financiamentos Tokenizados para o Agronegócio, com as perspectivas de Jorge Iazigi, Bruno Grossi e Sergio Medeiros.

 

O Banco do Brasil, líder no segmento de crédito para o agronegócio, já está em fase de testes para tokenizar FIDCs no setor do agronegócio, com a expectativa de injetar mais recursos no mercado, liberando o balanço da instituição.

 

Ao final do Blockchain Festival Rio 2023, posso dizer que minhas expectativas foram superadas. O evento reuniu profissionais de alto calibre do mundo Web 3.0, apresentou palestrantes didáticos, um trabalho série de comunidades, com foco em inclusão social, e ainda muita arte digital presente, tudo isso ainda proporcionou oportunidades valiosas de networking. Fiquei encantado em encontrar velhos amigos e fazer novas conexões com pessoas apaixonadas por explorar o potencial da Web 3.0.

 

>> Artigo publicado em 12/10/2 no Portal Startupi, confira aqui.

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

SUPERANDO DESAFIOS: A JORNADA DAS STARTUPS EM ESTÁGIO INICIAL

No panorama global atual, pequenos empreendedores que lançam startups de tecnologia estão se deparando com um terreno cada vez mais complexo e desafiador. Tais desafios começam com a captação de recursos, um processo que se mostra particularmente difícil em países onde o ecossistema de capital de risco ainda é incipiente.

SXSW: O QUE ROLOU SOBRE WEB 3 E IA

De 8 a 16 de março de 2024, mais de 350 mil pessoas estiveram em Austin, para acompanhar quase 3000 palestrantes, onde foram recebidas pessoas do mundo inteiro, a Sandy Carter trouxe a palestra “A fusão mente-máquina: sete tendências futuras em um mundo pós-inteligência artificial no trabalho”, e Chris Dixon em um bate-papo com Camila Russo, founder, The Deflant, compartilhou a “Construindo a Próxima Era da Internet”.

BLOCKCHAIN E TIDC: A REVOLUÇÃO NO MERCADO DE CAPITAIS

Um exemplo claro dessa tendência é a crescente compreensão do conceito de um Token de Investimento em Direitos Creditórios (TIDC) por aqueles que já trabalhavam com os conhecidos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC).

Idioma »