BOSSA SUMMIT: JOVENS PROGRAMADORES, FUTUROS EMPREENDEDORES

O Bossa Summit em sua 2ª edição, passa a ocupar o espaço de maior evento do Brasil dedicado a startups e investidores, pois se no calendário temos diversos eventos para startups, a Bossa Nova Investimentos realiza um trabalho que transcende a conexão de investidores, mas com parcerias e conexões entre eles. É uma oportunidade ímpar de ampliar networking, conhecer novas tecnologias e acompanhar a evolução de startups que estão no radar de investidores.

 

O evento esse ano foi um espetáculo, a começar pela escolha do local, Transamérica Expo Center, que acomodou e acolheu muito bem todos os integrantes e participantes, permitindo transitar livremente pelo amplo espaço, visitar todos os stands e acompanhar as diversas palestras da programação. Foram dois dias de uma completa imersão, muita troca, encontros memoráveis e muito conhecimento, afinal, sempre temos muito a aprender.

 

Que o Bossa Summit é um evento para trocas e conexões isso não resta dúvida, mas o fato é que vai muito além da busca por uma captação, um investimento, um negócio. É literalmente um palco, reunindo em um mesmo espaço, jovens estudantes que possuem o empreendedorismo na veia e desenvolvem soluções inovadoras para problemas sociais ou da comunidade; startups locais com soluções voltadas para diversos setores e mercados; startups de outros Estados que precisam mostrar para o mundo sua ideia, mas que muitas das vezes não encontram no seu Estado ou região a estrutura de capital de risco necessária para fomentar negócios e alavancar; além das startups que já estão nessa jornada e buscam um cheque ou uma sabatina com investidores.

 

Para quem já está nessa jornada há algum tempo sabe que a trilha não é fácil. Tirar as ideias do power point, desenvolver e apresentar seu projeto, toda a parte de aprimoração necessária, a mesa redonda com investidores e o tão temido NÃO ou a aprovação da sua ideia até o momento glorioso: o cheque, ou melhor o PIX.

 

Mas quero escrever hoje sobre o mundo jovem, muitas vezes criticado por uma geração que persiste reviver memórias nostálgicas e esquece que já foi jovem também. Foi maravilhoso, em um evento como esse, ver jovens no palco mediando e palestrando, e esse é o ponto que me dá esperança em nosso País, startupeiros novos, mentes pensantes e brilhantes que também tiveram a chance de brilhar e mostrar todo seu talento no palco do Bossa Summit, e confesso, é muito prazeroso ver nossos jovens com tanta maturidade, tão conscientes e engajados em projetos voltados para tecnologia e inovação.

 

O Desafio da Liga Jovem, realizado pelo Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em parceria com o Instituto Ideias de Futuro, teve a grande final disputada nos dois dias do evento. A Liga Jovem é a maior competição nacional de empreendedorismo e tecnologia para estudantes do ensino fundamental e médio do país e contou com mais de 5 mil inscritos de todos os Estados brasileiros com o propósito de desenvolver projetos inovadores usando tecnologia. Os finalistas terão a oportunidade de visitar centros de inovação em Madri, na Espanha.

 

São jovens estudantes que buscam soluções para as dores que encontram no seu dia a dia, seja na rua onde moram, na escola ou comunidade, e além de toda a experiência com a tecnologia também tiveram a oportunidade de aprimorarem seu conhecimento vivenciado as trocas que o Bossa Summit proporciona, desde as conexões, apresentação dos seus projetos, contato com outras tecnologias, proposta de venda dos produtos e o networking com especialistas de diversas áreas como empreendedorismo, tecnologia e comunicação, o que para essa turma que está engatinhando é uma experiência maravilhosa e muito enriquecedora.

 

Os ganhadores foram: Callíope, do Colégio Marista em Maceió (AL), com um projeto que auxilia autistas não verbais a desenvolverem a comunicação; Hera, da Escola Técnica Estadual Juscelino Kubitschek, no Rio de Janeiro (RJ) com uma plataforma de curadoria de arte para artistas migrantes e refugiados, com objetivo de geração de renda com venda de NFT’s e produtos licenciados; PD, do Colégio Técnico de Campinas, com um aplicativo para conectar cuidadores de idoso e indivíduos precisam desse serviço; Opennova, do IRFJ São Gonçalo/RJ, com um aplicativo para facilitar a tomada de empréstimo por meio de Open Finance; Garotas de Vermelho, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Saint Hilaire, de Porto Alegre (RS), com um dispositivo pedagógico voltado para a saúde feminina e qualidade de vida de pessoas em pobreza menstrual; Curativo Bio, do Colégio Poliedro, de São José dos Campos (SP), com um protótipo de um curativo biodegradável, feito com elementos químicos que não poluem o meio ambiente e não contém plástico, produzido com óleos de menta e melaleuca e de baixo custo.

 

Parabéns aos ganhadores e sucesso para essa nova geração. Aproveitem todo o conhecimento adquirido e vivenciado no Bossa Summit e voem alto.

 

 

E para que você que deixou esse evento de startups e investidores fora da sua agenda, fica o convite para o próximo ano.

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

A IMPORTANCIA DO FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

É impossível falar de empreendedorismo feminino sem entender a motivação por trás de quem empreende, se a ideia empreendedora veio por oportunidade ou necessidade. Por exemplo, um empreendedor que tem a oportunidade de abrir um negócio estando em uma situação “confortável” seja por investimento interno ou recursos próprios.

Idioma »