BLOCKCHAIN – A QUARTA REVOLUÇÃO CHEGOU

Você já ouviu falar em Blockchain? Se ainda não ouviu, certamente irá ouvir nos próximos anos.  Eu mesmo fui muito cético com relação a essa tecnologia, mas minha inquietude me fez fazer um curso de Transformação Digital pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), uma das matérias tratava-se justamente do Blockchain, da sua tecnologia, arquitetura, segurança e o potencial para os negócios.

 

Estou encantado com seu potencial revolucionário para os negócios, acredito que a difusão da tecnologia tenha sido distorcido devido as criptomoedas. Sua capacidade de revolução vai muito além da tecnologia empregada nas moedas digitais como Bitcoin e Ether, perceba-se que estou falando de “revolução”, uma palavra muito mais forte do que inovação.

 

Como um dos sócios fundadores da Focus Financeira, uma fintech de crédito especializado em “credit as a service”, sempre fui muito curioso por inovação e novas tecnologias, ao me deparar com blockchain, primeiro foi necessário fazer um “reset” em tudo que aprendi, tive que colocar em prática uma frase do próprio MIT, desaprender para aprender.

 

Segundo artigo publicado no Fórum Econômico Mundial, sob o titulo Building Block(chain)s for a Better Planet, o Blockchain é uma tecnologia fundamental para quarta revolução digital, assim como a internet foi para revolução anterior. Ela tem a capacidade de conectar de forma dinâmica e muito mais barata o mundo físico, digital e biológico. O seu potencial de transformar a forma como os seres humanos transaciona é enorme, com registro criptografado, seguro e imutável em qualquer transação, seja a venda de um apartamento, carro, ou mesmo através de pagamento no ponto de venda.

 

Vou tentar simplificar sua concepção, o Blockchain é uma grande base de dados distribuída, no qual todos os tipos de transações podem ser gravadas diretamente pelas partes interessadas em tempo real, sem precisar de intermediários, de forma segura e com rastreabilidade completa, para fins de exemplo, como se fosse o PIX sem intermediário (no caso o Banco) para uma transferência de dinheiro. Existem 4 elementos básicos para o funcionamento:

• Ledger (onde são gravadas todas as transações feitas pelos usuários),

• Bloco (onde cada bloco é armazenado em um banco de dados público),

• Hash (quando as transações são verificadas, recebem uma identificação única alfanumérica e criptografada) e

• NODE (cada dispositivo conectado à rede onde armazena uma cópia de blockchain).

 

Nesse processo para validar a transação é enviada para os chamados “mineradores”, esses têm a responsabilidade de trabalhar para validar o blockchain utilizando um complexo algoritmo matemático à prova de hacker. Isso torna o processo muito seguro, mais barato e acessível.  Em resumo, o blockchain tem algumas vantagens como: não requer intermediários, reduz o custo de intermediação, mais rápido e garante a privacidade e segurança. Sua desvantagem é o custo elevado computacional e energético para mineração, além da desconfiança da sociedade sobre a tecnologia e o risco de intervenção governamental com uma regulamentação específica.

 

Não tenho dúvida que o mundo dos negócios serão revolucionados com Blockchain, imagine um cliente assinando um contrato de empréstimo, sem a necessidade de intermináveis confirmações. Com o blockchain será possível ter um ID único na rede, à prova de fraude, sem a necessidade de ficar enviando um monte de documento para validação. Será possível alugar um apartamento assinando o contrato de locação através do blockchain, sem intermediário. São pequenos exemplos de como a ferramenta pode mudar o jeito de fazer negócios, tornando mais simples, acessível e mais barato.

 

E você, já pensou como isso pode afetar o seu negócio?

 

Uma excelente semana e até a próxima coluna!

 

 

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

A IMPORTANCIA DO FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

É impossível falar de empreendedorismo feminino sem entender a motivação por trás de quem empreende, se a ideia empreendedora veio por oportunidade ou necessidade. Por exemplo, um empreendedor que tem a oportunidade de abrir um negócio estando em uma situação “confortável” seja por investimento interno ou recursos próprios.

Idioma »