AGENDA POSITIVA: PIX + 5G + e-COMMERCE

A solução mais abrangente do BACEN nos últimos anos completou um ano com números impressionantes. O PIX alcançou mais de 110 milhões de usuários e 348 milhões de chaves cadastradas. Em outubro/2021, as transações por meio do PIX movimentaram R$ 583 bilhões.

 

Para animar os empreendedores, apenas 10% do volume financeiro e 16% do total de transações movimentados por meio do PIX foram feitos de pessoas físicas para pessoas jurídicas, isto é, existem muitas oportunidades para o desenvolvimento de soluções e novas formas de negócio. O pipeline para as Fintechs continua alto e o Varejo fez grandes movimentos para ocupar uma parte desse espaço. Imagine o PIX facilitando saques e troco! Para completar o cenário positivo de transformações, a agenda do Open Finance, apesar de alguns imprevistos, continua a avançar. Acompanhem os artigos do Luciano Fantin, Manoel e Carlos Augusto.

 

Mesmo com os estelionatários adaptando golpes antigos ao PIX os benefícios aos consumidores são muito maiores

 

Outro fato importante a ser destacado é o crescimento | consolidação do e-commerce no Brasil. O Valor destacou recente pesquisa realizada pela FGV que apontou crescimento de:

 

• 47% do comércio eletrônico em 2020, total de R$ 87 bilhões, em relação ao ano de 2019

 

• 31% no primeiro semestre de 2021 comparado ao mesmo período do ano anterior, total de R$ 53,4 bilhões.

 

 

 

Em relação aos setores preferidos pelos consumidores para compras on-line, alguns são óbvios e outros não tão esperados, pois dependem muito da experiência do cliente:

 

• Alimentos e Bebidas (52,6%)

 

• Produtos Farmacêuticos (51,3%)

 

• Eletrônicos (52%)

 

• Serviços de aluguel de imóvel (16,6%)

 

• Serviços médicos (19%)

 

 

Na mesma reportagem, o Valor destaca pesquisa realizada pela Dunnhumby (empresa que analisa dados de consumidor com sede na Inglaterra) que revelou que as compras on-line entraram na rotina dos brasileiros. Para quem gosta de novos termos … somos phygital

 

O “CTO COVID-19” acelerou e consolidou o processo de digitalização e vendas on-line. Vale lembrar que essa transformação, aparentemente simples para o consumidor final (troca de meio de comunicação), trouxe imensos desafios de logística, tecnologia, relacionamento com o cliente e integração on-line | off-line. É repetitivo, mas não posso deixar de destacar as oportunidades para as Techs … Fintechs, Healthtechs, Lawtechs, HRtechs, Logitehcs … O PIX já está disponível no e-commerce. Preparado para a Black Friday?! Alguma solução imperdível para oferecer para os varejistas?!

 

O terceiro fato que gostaria de destacar é a conclusão do leilão de licenças de operação do 5G no Brasil. No curto prazo e antes multiplicar a velocidade do tráfego de dados dos privilegiados que podem comprar um aparelho pronto para o 5G, a nova banda abre um oceano de oportunidades para a internet das coisas (IoT). Não estou falando dos eletrodomésticos (caríssimos e para poucos), mas de todo tipo de conexão entre coisas, na indústria, no varejo e também em serviços, inclusive públicos, que podem se conectar, interagir e determinarão o desenvolvimento de novos modelos de negócio e, consequentemente, inúmeras oportunidades.

 

Seguindo a cronologia da implantação do 5G, com prioridade às Capitais e grandes cidades, é natural que as novas soluções surjam no ambiente B2B, mas não podemos desprezar a força dos setores de varejo e serviços nas capitais que podem determinar o lançamento de inovações B2C muito além do streaming.

 

PIX | Open Finance + e-commerce + 5G, são realidades brasileiras que não dependem mais do cenário político, estão interligados e impactam a sua vida e do seu negócio. Você já refletiu sobre as oportunidades e como aproveitá-las?

 

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

ESTAMOS A CAMINHO DA ERA DA CRIPTOECONOMIA?

Que a tecnologia impactou o mercado financeiro, não é novidade. Desde 1990, com o surgimento e rápido crescimento da internet, o mercado financeiro passou por grandes mudanças, desde o surgimento de novos produtos, até novas formas de se relacionar com o cliente e novos modelos de negócios.

PRIVACY BY DESIGN NAS STARTUPS

O conceito de “privacidade desde a concepção” tornou-se mais proeminente nos últimos anos, à medida que o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) aumentou as preocupações das empresas sobre questões de privacidade nos seus processos, especialmente em relação à oferta de produtos e serviços ao mercado. A metodologia visa incorporar a privacidade em práticas, tecnologias e sistemas, e ainda serve como diretriz para a criação de novos produtos e serviços.

A IMPORTANCIA DO FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

É impossível falar de empreendedorismo feminino sem entender a motivação por trás de quem empreende, se a ideia empreendedora veio por oportunidade ou necessidade. Por exemplo, um empreendedor que tem a oportunidade de abrir um negócio estando em uma situação “confortável” seja por investimento interno ou recursos próprios.

Idioma »