A NOVA APOSTA DOS INVESTIDORES: STARTUPS CAMELOS

Nos últimos dois anos, presenciamos um momento singular para toda a população, assim como para o mercado – também conhecido como “complexidade ciclomática” ou tempestade perfeita.

 

Adversidades como a COVID-19 no início de 2020 – que paralisou toda a cadeia produtiva – conflitos geopolíticos e um momento intenso de polarização política no Brasil impactaram fortemente toda a economia. Em consequência disso vimos altos índices de inflação, instabilidade no mercado de commodities, entre outros.

 

Além disso, tivemos uma forte elevação da taxa Selic, de 2% para os atuais 13,75% ao ano, com o objetivo de mitigar os impactos inflacionários.

 

Apesar de tudo isso, em 2020 e, mais ainda em 2021, por conta da baixa taxa de juros anual, muitos investidores deixaram de alocar recursos em renda fixa para começar a investir diretamente no setor produtivo, mesmo com um maior risco. O que gerou um forte aumento no volume de investimentos em diversos setores, principalmente nas startups.

 

Esse cenário gerou empresas com valuations inflados e superestimados. Porém, 2022 chegou para corrigir esses valores, e as mesmas empresas que estavam recebendo milhões de dólares agora viam-se na situação contrária.

 

 

Total de investimentos dos últimos anos

 

O valor total investido em startups, de acordo com dados levantados pela consultoria Sling Hub, mostra que o total de investimentos em startups brasileiras em 2021 foi de US$ 10,5 bi. Em 2022, o montante foi de US$ 517 milhões em 69 transações, um recuo de aproximadamente 50%.

 

Por conta disso, os fundos, antes muito focados em crescimento, passaram a buscar solidez e rentabilidade, fazendo com que a ideia, até então amplamente disseminada pelo mercado, de crescimento a qualquer custo perdesse força.

 

E é nesse contexto que, em vez de ir em busca de startups unicórnios, os investidores dão lugar às startups camelos.

 

 

O que são startups unicórnios

 

Um dos títulos mais desejados por vários empreendedores, ser uma startup unicórnio significa que a empresa possui um valuation igual ou maior a US$ 1 bi.

 

O termo surgiu em 2013 e foi cunhado pela investidora anjo Aileen Lee, que usou o termo unicórnio como uma analogia para enfatizar o quão raro são – ou pelo menos eram – essas empresas.

 

Segundo relatório da CB Insights, foram mapeadas 1.205 empresas cujo valuation passa de um bilhão de dólares. E no Brasil, temos um total de 22 empresas consideradas unicórnios – QuintoAndar, Nubank e Ifood são exemplos de unicórnios brasileiros.

 

 

O que são startups camelos

 

Os camelos são animais extremamente resistentes, que sobrevivem longos períodos sem água e por isso conseguem enfrentar os momentos de seca em seu habitat natural.

 

O termo criado por Alex Lazarow é utilizado para aquelas empresas que, assim como os animais, conseguem sobreviver a momentos de adversidades e desafios. Outras características desse tipo de empresa são o foco no crescimento estável, cautela com o uso de seu caixa e na sustentabilidade geral do negócio.

 

Um grande exemplo desse tipo de empresa é a plataforma de videoconferência Zoom. A empresa teve seu período de crescimento acelerado, que foi impulsionado principalmente pela pandemia, porém hoje visa um crescimento estável e não busca investimentos, a não ser que seja de extrema necessidade.

 

 

Investidores buscam por startups camelos

 

O crescimento acelerado com queima de caixa funciona muito bem em uma economia estável, planejável e sem solavancos. Em um mundo complexo como estamos vivendo, também conhecido como mundo VUCA – volátil, incerto, complexo e ambíguo – essa tese cai por terra.

 

O retorno do “bom senso” nas companhias passou a ser mais do que um remédio, é uma forma de sobrevivência e coerência.

 

Logo, é muito importante para os novos investidores ou investidores anjos procurarem os “camelos” existentes.

 

Uma forma de encontrar essas startups é procurar empresas que possam subsidiar informações para tomada de decisão, empresas conhecidas no mercado como Venture Capital, como por exemplo, Kadmotek ou o próprio GVAngels.

 

Essas empresas vão lhe ajudar na avaliação da companhia investida. Com a grande quantidade de startups surgindo todo mês, fica muito difícil selecionar aquelas com alto potencial de crescimento e rentabilidade.

 

Uma dica para identificar empresas com potencial de se tornar um “camelo” é:

• analisar como a empresa ganha dinheiro;

• qual público que atende;

• qual valor a empresa cria;

• qual nível de concorrência;

• qual barreira de entrada para novos entrantes;

• e analisar se suas projeções financeiras são “reais” ou infladas.

 

Por tanto, a priorização de um crescimento equilibrado e construído a longo prazo, sustentável e diversificado, podem não apenas proteger as empresas a choques de mercado, mas também podem ser os pilares de crescimento e prosperidade em bons e maus momentos – e garantir assim retornos mais garantidos aos investidores.

 

 

>>> Este texto foi originalmente publicado no Site GVAngels

 

 

 

Compartilhar:

WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Facebook

Mais artigos

SPRINT 034 – NETWORKING E INOVAÇÃO: IMPRESSÕES DO WEB SUMMIT RIO

Foram 3 dias de muitos encontros. Entre eles, @Gabriel Pereira, líder do maior canal do mercado financeiro, o @Let’s Media. Se você acompanha meu conteúdo, também precisa acompanhar o conteúdo produzido por esse ex-produtor de sistemas, um verdadeiro influencer do mercado financeiro.

RESOLUÇÃO DO BANCO CENTRAL: COMO PROMOVER E MONITORAR A SAÚDE FINANCEIRA UTILIZANDO A CIÊNCIA COMPORTAMENTAL E ELEMENTOS DE JOGOS

Em julho deste ano entra em vigor a resolução do Banco Central que determina que as instituições financeiras devem promover ações de educação financeira para os clientes.
Segundo o Banco Central, deve ser incentivado o planejamento e o orçamento pessoal e familiar, uma reserva de emergência sólida e o pagamento de contas em dia, evitando a
inadimplência.

Idioma »